A contadora de História: Clara Haddad



Hoje é o dia do livro infantil e não poderíamos deixar passar em branco uma data tão importante, em homenagem a esse dia, eu quero compartilhar com vocês uma entrevista super divertida e cheia de amor pelos livros com a escritora e uma das melhores contadoras de história do mundo, a Clara Haddad. Uma ótima Leitura!  



Amor de Papai Real – Quem realmente é Clara Haddad?
Difícil dizer. Acho que sou uma eterna criança! Tenho muita alegria dentro de mim e vejo a vida com leveza. Talvez por isso ame viver e trabalhar pela arte e a narrativa, pois aí a verdadeira Clara vive em sua plenitude. Neste campo de descobertas, de sonho, de acreditar que na vida tudo pode acontecer.
Costumo dizer que ser contadora de histórias é minha maneira de ser tudo. A partir dessa forma de ser e de estar o meu mundo gira fazendo com que eu crie e desenvolva meus projetos de vida e profissionais que têm muito de mim, do que sou e do que acredito.

Amor de Papai – Conte um pouco sobre a sua infância. Quando foi seu primeiro contato com a arte? 
Minha infância foi feliz, cheia de brincadeiras, cheia de histórias e de muitos livros. Tive a sorte e bênção de ter uma avó contadora de histórias que contava todo tipo de história da tradição oral - narradas de viva voz - e uma mãe maravilhosa que também me contava as histórias clássicas lendo uma infinidade de livros de literatura.
Meu primeiro contato com a arte foi através da família, que sempre me incentivou a fazer um pouco de tudo: teatro, dança, pintura. Passei minha infância lendo, visitando exposições, tendo contato com as mais variadas formas de arte. Como a ilustradora Květa Pacovská diz: ” Um livro ilustrado é a primeira galeria de arte que uma criança visita” e concordo plenamente com isso pois, sem dúvida, se não fosse o incentivo que tive em minha infância eu não teria essa capacidade de ver e sentir a arte como sinto.

Amor de Papai– Como surgiu o gosto pela escrita? Você fez algum curso específico ou aprendeu escrevendo?
Aprendi escrevendo. Nem sei muito explicar, é uma necessidade que tenho de registrar meus pensamentos, sentimentos e emoções. Amo registrar fatos inusitados do meu dia. Sempre foi um hábito. Comecei com um diário na infância. Nem sequer pensava que na vida seria uma contadora de histórias profissional e escritora. Isso foi surgindo e evoluindo com o tempo.

Amor de Papai – De onde vem a inspiração para escrever?
Da vida e das coisas da vida. Sou atriz de formação mas me dedico a narração oral e a escrita. Tenho duas linhas de trabalho: uma delas vem do reconto das histórias tradicionais. Sou uma coletora de histórias, por assim dizer, um pesquisadora autodidata. Amo viajar e pesquisar sobre as tradições dos povos. É fundamental preservar a memória das culturas para que elas não se percam. A outra linha de escrita brinca com o cotidiano e situações inusitadas que nos acontecem.

Amor de Papai – Qual é o principal cuidado que um escritor infantil deve ter?
Não sei definir em uma só palavra. Acho que devemos escrever sem filtros e sem medos, sem pensar no que é politicamente correto e no mundo cor de rosa que insistem, hoje em dia, em dizer para a criança que é só o que existe. A vida não é assim, só amor e flores, fadas e príncipes. É necessário que nas histórias existam conflitos, dificuldades, vilões, bruxas e temas como morte, medo, raiva, inveja, ciúmes … A meu ver é necessário essa dualidade.
As histórias servem de guia para aprender a escalar as montanhas, vencer obstáculos e perigos, enfrentar medos e monstros, vencer uma etapa difícil e dolorosa.
Enfrentar medos, reafirmar e significar ideias é importante para a vida! Não temos que dar ênfase somente aos aspectos positivos. A criança não é tola e não precisa de uma linguagem minimalista e tabibitate que torna a escrita pobre, chata e aborrecida.
Os pequeninos escutam as histórias de uma forma completamente diferente dos adultos, sem julgamentos, sem ideias pré-concebidas. Acredito que se forem retirados estes espaços para criança lidar com seus sentimentos negativos, seus medos e suas dúvidas elas não terão como aprender a enfrentar problemas que se apresentam na vida real.

Amor de Papai – Em sua opinião, o que o Dia Nacional do Livro representa?
Nesta data, 18 de Abril, comemoramos o nascimento do percursor da literatura infantil no Brasil que foi o genial Monteiro Lobato.Penso que, para todos os que escrevem para infância e juventude, ele foi uma referência e daí a importância da data, homenagear quem escreveu, escreve e escreverá para a crianças e jovens no país. E também lembrar a  importância do livro e da leitura na vida das pessoas e na sua fomação enquanto cidadão.

Amor de Papai – Dê algumas dicas de livros infantis para os papais?
São tantos os livros maravilhosos que não podem faltar na prateleira da biblioteca de nossa casa.Os clássicos da literatura. Os contos dos irmãos Grimm, de Perrault, Fábulas de La Fountaine, os livros de Monteiro Lobato, Ruth Rocha, Tatiana Belinky, Ana Maria Machado, Ricardo Azevedo, Lenice Gomes. Entre tantos outros, são importantes nas mais variadas faixas etárias.
Ler é ampliar o nosso próprio mundo simbólico, é desenvolver nossa capacidade de comunicar, nosso senso crítico e dá a dimensão das emoções, sentimentos e vivências do ser humano, na sua busca de sentido para a existência.

Amor de Papai – Quais as principais diferenças que você enxerga entre o mercado literário europeu e o mercado nacional?
Posso falar enquanto autora e as minhas percepções e, penso que numa visão geral, é homogêneo, mas existem pequenas diferenças relacionadas ao incentivo e ao investimento que se tornam grandes diferenças quando vemos a presença das editoras nas feiras internacionais de grande relevância.

Amor de Papai – Como concilia sua vida e carreira de escritora e de narradora de história?
Está tudo no mesmo campo de atuação. Escrever e contar. Contar e escrever faz parte do meu dia-a-dia. Não há diferença. Ambas são importantes. E, além disso, ensino e capacito pessoas a contar histórias através da Escola de Narração Itinerante que é um projeto que fundei na cidade do Porto (Portugal) e que existe desde 2006. Tenho inúmeros projetos simulâneos, o “Encontro com as Histórias” que será um programa da web sobre literatura e que estará disponível no canal do youtube da Escola de Narração a partir de junho. Nele conversarei com escritores , ilustradores e pessoas que trabalham em prol do livro e leitura no Brasil e no mundo. Também desenvolvo o “Jovens Narradores -Descobrindo Novos Horizontes” que é um projeto social com jovens carenciados em São Paulo. Em suma, tudo o que faço está interligado. É o que amo fazer, portanto, é fácil de conciliar. Diz o ditado que “quem corre por gosto não cansa” e no meu caso é bem verdade.


Amor de Papai – Quais são seus planos profissionais para o futuro?
Publicar mais livros com recontos da tradição oral mundial e contos originais. Já tenho muitos textos prontos e preparados para publicação tanto no Brasil quanto em Portugal. Pretendo continuar a difundir e a fazer um bom trabalho com a narração oral e a literatura. Capacitar mais pessoas para contar histórias…  Viajar, conhecer mais culturas. Enfim, seguir o caminho que escolhi para minha vida..

Amor de Papai – Deixe alguma mensagem para as pessoas que não têm o hábito de ler?
De toda forma creio que as pessoas acabam por ler. Ler não é só o formato em papel. Lemos o mundo, a vida, as coisas.
Cito Ítalo Calvino: “O livro é o que acende no leitor um permanente desejo de seguir sempre adiante, em busca da construção do sentido da vida.” E penso que a chama da leitura ascende quando uma pessoa encontra com um “garimpeiro de palavras”, um contador de histórias, bons professores e pais interessados e apaixonados pelo livro e suas riquezas.
Muito agradecida pela entrevista e pela divulgação do meu trabalho. Espero uma visita na minha página de facebook e no site da Escola de Narração Itinerante para que possam acompanhar minha agenda e participar dos eventos que organizo.
Tudo de bom! Um abraço de contos!

Página do Facebook ClaraHaddadNarradora
Instagram: @clara.haddad
Twitter: @ClaraHaddad



Comentários
21 Comentários

21 comentários:

  1. Adorei a entrevista! Ótimas perguntas elaboradas e fiquei encantado com a entrevistada! Confesso que não a conhecia e vou atrás das obras dela para conhecer melhor!

    ResponderExcluir
  2. Que entrevista encantadora, que consegui me sentir dentro dos livros e das histórias. Sou apaixonada por literatura. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Cláudia é uma referência para narração de histórias. E as.dicas de livros e autores são otimas, conheço a maioria.
    @nossasaogemeos.

    ResponderExcluir
  4. Que delicia!! Nada como valorizar uma contadora de historias! Parabens pela entrevista!
    Deia Tomaz - www.lancheiradojoao.com

    ResponderExcluir
  5. Que profissão linda! Adorei conhecer mais sobre a Clara.

    ResponderExcluir
  6. Adorei a entrevista exinhecer um pouco mais dela, parabéns

    Michele Gobbato - Espaço das Mamães

    ResponderExcluir
  7. Adorei a entrevista.. Muito bom conhecer sobre a Clara parabéns bju

    ResponderExcluir
  8. Adorei a entrevista!! É incrível como um livro consegue nos levar a outra dimensão, e aguça tanto nossa imaginação. Pisquila adira me ouvir contar histórias, fica fascinada. Depois ceia sua própria versão da história. É lindo de se ver. ❤
    Beijos Mila (@mundodamae)

    ResponderExcluir
  9. Adorei a entrevista e aqui em casa somos apreciadoras de boas histórias!

    Beijo,

    Claudia Bins
    @AsPasseadeiras

    ResponderExcluir
  10. Que bacana a entrevista. Rafa adora livros. Vou comprar mais para o Rafa

    ResponderExcluir
  11. Ótima entrevista! parabéns pela profissão Clara!

    ResponderExcluir
  12. Fantástico! Ela é realmente sensacional! Um referência ímpar na literatura! 👏🏻👏🏻👏🏻

    ResponderExcluir
  13. Muito bom! Desde que criança adoro ler e aqui rm casa o gosto pela leitura é passado de pais para filhos!

    ResponderExcluir
  14. Adorei conhecer um pouco mais da historia dela.
    Parabéns
    Vamosmamaes.blogspot. com.br

    ResponderExcluir
  15. Adoro tuas entrevistas, Nicacio. Suas perguntas são ótimas e super pertinentes. Ainda não a conhecia, mas agora já virei fã!

    ResponderExcluir
  16. Adorei o tema e a entrevista!
    Contar histórias é estimulante, ajuda no desenvolvimento, no processo criativo...adoro!

    ResponderExcluir
  17. Que entrevista bacana! Adorei conhecer mais sobre a Clara! Por aqui adoramos histórias e a Isa sempre pede pra eu ler pra ela! amei!

    ResponderExcluir
  18. Sensacional! Uma referencia! Ler é tudo de bom! @caroleassinhazinhas

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia, vou procurar mais sobre! Adorei a entrevista!

    ResponderExcluir
  20. Clara tem uma profissão que admiro muito. Fiquei encantada com a entrevista. Amo livros e contar histórias para meu filho!

    ResponderExcluir
  21. Que entrevista deliciosa de ler, ela é uncrivel e as crianças amam, e sabendo um pouco mais dela a gente tb!

    ResponderExcluir