Entrevista Mônica Salgado


Mônica Salgado, que na verdade é um doce de mãe, casada com cantor Afonso Nigro, mamãe do Bernando e Mely, conta sobre família, lembranças de infância e carreira nessa entrevista cheia de amor e mostra que a maternidade pode ser cheia de Glamour. Não esquecendo ela é editora de redação de uma das melhores revistas de moda do Brasil, a Glamour. Um pai e uma mãe eles não precisam ser perfeitos, eles precisam ser suficientemente bons. Se eles forem suficientemente bons eles vão criar bons filhos preparados para a vida e filhos que se sintam amados e amparados”.  Mônica Salgado

Amor de Papai - Quem é a mamãe Mônica Salgado? 
Mônica Salgado - Oi querido, eu sou Mônica Guimarães Salgado Nigro, Nigro depois de casada. Tenho 37 anos, dois filhos, um cachorro e um humano, o humano é o Bernando de cinco e cachorrinho é a mely que vai fazer onze anos agora em setembro.                                                            

Amor de Papai - Quais as principais lembranças que você tem de seus pais?
Mônica Salgado - Lembrança dos meus pais eu tenho várias, com certeza, meu pai e militar né, ele é coronel aposentado da polícia militar de São Paulo. Então eu lembro muito do meu pai chegando à noite de farda em casa, eu achava aquilo tão legal. Meu pai sempre foi assim tão reto, sempre teve um discurso tão correto na vida que ele sempre foi tido pra mim como um herói. Ai eu tenho lembranças fofas assim, ele chegava em casa e cortava laranja em cubinhos (risos). Meu pai sempre gostou de cortar as coisas em pequenas porções. Ele faz churrasco, ele é o famoso churrasqueiro da família, e ele tem mania de cortar as carnes todas em lasquinhas, (risos). Aí sai todo mundo do churrasco cheio de fome porque comeu só lasquinhas (risos). E da minha mãe a imagem que tenho dela quando criança e dela muito arrumada, muito cheirosa, passava cremes, muito vaidosa minha mãe, acho que eu peguei isso dela.                     


Amor de Papai - Como você descreveria a sua infância? O que você fazia para se divertir?
Mônica Salgado - A minha infância foi muito feliz, animada, eu tenho uma família muito grande dos dois lados e a gente sempre foi muito unidos. Então os fins de semana sempre foram passados entre os dois sítios da família, no sítio da minha avó materna e no sítio da minha avó paterna. Cada fim de semana ia para um e os dois eram meio clubes, de tantos primos, tios e de gente que ia. Então foi uma infância muito animada. Eu sempre fiz muito esporte também, meu pai é super esportista até hoje, então eu acho que peguei isso dele também. Eu sempre fiz natação, balé, ginástica olímpica, então eu sempre fiz de tudo. Sempre tive essa necessidade de ter o corpo em movimento. Acho que é isso, sempre tive uma infância cercada de muito amor, eu sempre tive avós muito presentes, muito próximos, na qual eu sinto muito falta, e a presença dos avós e muito significativa na vida dos netos, ajuda a nos formar.        

Amor de Papai - Quando criança, o que você imaginava sobre sua vida adulta? Se pudesse voltar atrás, escolheria a mesma profissão?
Mônica Salgado - Olha quando a gente é criança a gente não necessariamente quer ser o que a gente se torna, mas eu acho que tem características comuns entre o sonho de criança e a carreira que escolhemos. Eu tive minha fase de querer ser professora, Paquita da Xuxa (risos), coisas do tipo, mas eu lembro que eu queria ser professora, porque eu adorava ensinar, a falar, adorava me relacionar com as pessoas e tal. Sempre gostei muito de escrever, sempre gostei muito da língua portuguesa. Minha mãe também é professora de português e acho que isso também ajudou. Se eu pudesse voltar no tempo eu provavelmente escolheria a mesmíssima profissão. Eu não consigo imaginar numa outra ocupação que me alimente tanto como essa profissão que eu tenho.                                                           
  
Amor de Papai - O que você acha de muitos pais vestirem roupas de adultos em filhos crianças e sobre essa moda de Tal pai, tal filho qual seu posicionamento?
Mônica Salgado - Eu acho que a maternidade e a paternidade são exercícios tão pessoais assim que é tão difícil a gente julgar. Eu acho que quando nos tornamos pai ou mãe, é um exercício de autoconhecimento tão grande, assim, vem sua história, vem nesse pacote a sua relação com seus pais, é tanta coisa envolvida que não dá pra analisar essa questão de forma simples. Ah, eu sou a favor, eu sou contra. Eu acho que é muito legítimo que as pessoas exerçam a maternidade e a paternidade, claro dentro dos limites da lei e do bom senso e tudo mais, mas dentro do conjunto de valores que eles acreditam, então, acho que há abusos né, mas não estamos falando de casos extremos e doentes, estamos falando de casos comuns, e eu não vejo problema, acho que as pessoas sabem o que é melhor para seus filhos e temos que respeitar esse posicionamento.                   


Amor de Papai - Conte-me sobre o nascimento de seu filho? E a relação de vocês mesmo com dia a dia corrido?
Mônica Salgado - Bom, meu filho nasceu no dia 20.12.2010, 5 dias antes do Natal, eu não consigo imaginar o dia mais emocionante pra vida de uma mulher, porque você chega na maternidade com uma barriga e sai com um bebê, seu filho, aquele elemento que vai transformar sua vida profundamente e acho que é das únicas decisões que tomamos na vida que são eternas, você não tem como voltar atrás. Você não tem como, enfim, se livrar dessa realidade. É realmente uma decisão pra vida toda. Talvez seja a única que a gente toma que nos envolve aí pelo resto de nossos dias. Então é muito emocionante. Meu parto não foi como eu gostaria, como eu tinha sonhado que fosse, eu queria que fosse um parto normal, eu estava com 41 semanas de gestação, o médico achou melhor tirar, então foi uma cesárea, mas apesar de todo processo ser super frio, mecanizado e medicalizado que é a cesariana a emoção que você tem de ter seu filho no braço é única. Não importa por qual meio ele veio ao mundo. Então, eu tenho um vídeo muito lindo que foi minha cunhada que gravou o parto então é um dia que eu trago as melhores recordações.      

Amor de Papai - Quais são suas crenças? Que papel sua fé desempenha em sua vida?
Mônica Salgado – Olha eu estou em um momento que eu tenho tentando resgatar a minha fé, confesso que eu em muitos anos não acreditei muito em nada que eu não pudesse ver, ou eu não pudesse explicar, eu tenho muito essa necessidade das coisas fazerem sentido, serem racionalmente explicadas. Mas esse ano eu entrei em 2016 com uma necessidade muito grande de acreditar, de crer, de deixar essa força inexplicável tomar conta da minha vida de várias maneiras e eu estou firme nesse propósito, estou realmente mais crente, estou me abrindo para as possibilidades, eu acho que tem muitas coisas que acredito que é o poder das energias que circulam no mundo, que às vezes nos fazem nos sentir muito bem diante de alguém ou muito mal diante de alguém, então tudo isso eu acredito, então eu venho trabalhando isso dentro de mim. Eu sou católica, nasci católica mais não sou praticante, não frequento a igreja, mas gostaria de encontrar uma fé sabe pra chamar de minha. Estou nessa busca.        



Amor de Papai - Como você descreveria a relação do seu esposo na criação do filho de vocês?
Mônica Salgado - O Afonso é um pai assim, fenomenal, de verdade, eu não estou falando isso porque estou dando essa entrevista, eu acho que ele tomou pra ele um papel muito protagonista na criação do Bernardo desde quando ele era bebê, e hoje ele é um pai em termos até de quantidade de tempo ele passa muito mais tempo com o Bernardo do que eu, porque o trabalho dele é muito mais flexível e ele trabalha muito de casa e tal. Então ele é assim um anjo na nossa vida. Um pai muito precioso que o Bernardo tem a sorte de ter.                                                    
Amor de Papai - Como você gostaria que as pessoas no futuro se lembrassem de você?
Mônica Salgado - Nossa que pergunta difícil, como eu gostaria que as pessoas se lembrassem de mim no futuro? Depende de quem né, as pessoas que me conhecem, as pessoas que não me conhecem, não sei. Acho que pro mundo as pessoas nas quais eu não convivo, eu gostaria de ser lembrada como uma jornalista assim visionária, corajosa, que implementou mudanças importantes na maneira com que elabora seu veículo de comunicação, na maneira com que relaciona com seus leitores, então, estabelecendo uma nova maneira de ser, fazer, de se relacionar, de atuar, eu acho que eu gostaria de ser lembrada dessa forma e para as  pessoas que eu convivo, é, não sei, a gente tenta sempre melhorar porque a gente sabe que temos milhões de defeitos, mas eu sei que sou lembrada sempre como uma pessoa muito animada, energética, eu gosto de falar, eu gosto de festa, então eu sei que na família eu tenho essa fama.    
                


Amor de Papai - Qual pergunta nunca lhe fizeram em uma entrevista e o que responderia?
Mônica Salgado Nicácio cada pergunta difícil, o que nunca me perguntaram em uma entrevista? Ah bilhões de coisas (risos), sei lá, nunca me perguntaram por exemplo sobre meu signo, que a gente estava falando em fé, eu acredito super em astrologia, e eu sou libriana com ascendente em aquário, e lua em virgem, e eu tenho uma identificação total com essas características astrais me proporciona,  e eu sou Librianassa, com L maiúsculo. Então todas as características boas e ruins do signo acho que eu tenho bem exacerbadas, é o senso de justiça, a necessidade de às vezes aprovação social, a necessidade de convivência social, gosto muito de gente, de estar cercada de gente, o senso estético, eu preciso estar cercada de coisas organizadas, de coisas nos seus devidos lugares, assim, a bagunça externa ela me bagunça internamente, eu preciso ter uma organização dentro de mim e isso é muito característica do libriano.                      


Amor de Papai - Deixe alguma mensagem especial para nossos leitores nas redes sociais e no blog Amor de Papai?
Mônica Salgado - A mensagem que posso deixar, é uma mensagem que é pé no chão. A paternidade e a maternidade como eu falei, além de ser a principal ferramenta de autoconhecimento que o ser humano tem ao redor dele, na vida, eu acho que a paternidade e a maternidade tem que vir acompanhada de mais realidade e menos idealização. Eu acho que são coisas bastante idealizadas por todos nós, a gente tem conceitos bastante enraizados dentro da gente de como e, de como deve ser, e quando a gente não corresponde sentimos uma culpa horrorosa, e acham que pais é mães eles não têm que ser perfeitos?!? Aliás, tá ai uma coisa que é impossível de acontecer porque ninguém e perfeito. E não devem buscar essa perfeição, eu acho que o pai e a mãe que se julgam perfeitos eles são muito nocivos para a criação dos filhos. Acho que devemos preparar nossos filhos para o mundo com amor, com correção de caráter, de moral, mas a gente tem que preparar eles para o mundo real, não adianta colocar eles em uma redoma, não adianta a gente exigir esse tipo de coisa. Então eu acho que a idealização atrapalha demais o exercício fluído, amoroso, orgânico, gostoso da maternidade e da paternidade. A gente explode uma vez perdida, temos muito menos tempo do que a gente gostaria de ter, eu acho que a gente falta em algumas ocasiões, mas ao mesmo tempo é isso, quando estamos juntos, estamos juntos sabe, um pai e uma mãe sabem o que isso significa, então eu acho que a minha mensagem é essa. Vamos nos afastar dessas figuras idealizadas e vamos nos aproximar da figura real. Um pai e uma mãe eles não precisam ser perfeitos, eles precisam ser suficientemente bons. Se eles forem suficientemente bons eles vão criar bons filhos preparados para a vida e filhos que se sintam amados e amparados. Beijos!


Obrigado, Mônica por participar de nosso blog e um grande abraço.



Comentários
22 Comentários

22 comentários:

  1. Show de entrevista com a Mônica... Melhor ainda as abordagens e respostas... Show Nica.... Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo como sempre! Não conhecia a Monica.Gostei muito da entrevista e também adoro astrologia 💖😘😘

    ResponderExcluir
  3. Adorei a entrevista, não a conhecia. Bem alegre e alto astral. Conteúdo maravilhoso, vc arrasa Nicácio. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia a Monica e super me identifiquei com suas respostas sobre maternidade e paternidade! Show!

    ResponderExcluir
  5. Que legal! Não a conhecia e legal já ver esse lado de mãe e mulher nela.

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da Mônica e suas ideologias de maternidade são bem parecidas com a minha.
    @nossasaogemeos.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito das opiniões da Mônica e principalmente da mensagem que ela deixou sobre a maternidade e a paternidade, realmente pé no chão.

    Alê
    http://www.dafertilidadeamaternidade.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Nao conhecia a Monica. Gostei muito da entrevista! parabens!
    Deia Tomaz
    www.lancheiradojoao.com

    ResponderExcluir
  9. Adoro esse tipo de entrevista, onde a pessoa fala da realidade, que nem tudo são flores, como muitos ponham.adorei!

    Beijos Mil (@mundodamae)

    ResponderExcluir
  10. Nicacio, ótima opção de entrevistada! Acho ela ótima, linda, inteligente e super estilosa! Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Que show essa entrevista! Não conhecia a Mônica, adorei as respostas!

    ResponderExcluir
  12. Ótima entrevista não conhecia a Mônica mas adorei..

    ResponderExcluir
  13. Ótima entrevista! Muito legal conhecer um pouquinho mais sobre ela! Adorei os dois filhos! Esse carinho é muito lindo!

    ResponderExcluir
  14. Adorei a entrevista e conhecer um pouco mais sobre a mulher dele

    Parabéns pela entrevista
    Michele Gobbato - Espaço das Mamães

    ResponderExcluir
  15. "Mais realidade e menos idealização" isso aí Mônica. Gostei!

    ResponderExcluir
  16. Adorei a entrevista não conhecia.
    Parabéns
    Mariana
    Vamosmamaes.blogspot. com.br

    ResponderExcluir
  17. Linda entrevista! parabéns eu não conhecia

    ResponderExcluir
  18. Adorei a entrevista! 👏@caroleassinhazinhas

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia, bacana ver o lado mãe e mulher das pessoas. Adorei! Louise, @manualdeumamae

    ResponderExcluir
  20. adorei a entrevista acho ela demais...alem de linda muito simpatica

    ResponderExcluir